Você está em A Mente que Cura – Programação Mental

Programação Mental na Prática


“As vibrações do meu pensamento são forças de Deus em mim,
que em mim ficam armazenadas e que de mim se irradiam para todos os seres,
constituindo meu Eu um centro de emissão
 e recepção de tudo o que é bom, alegre e próspero.”

Trecho da Consagração Pessoal


Partindo dos pressupostos que:

  • pensar causa; e
  • temos uma ferramenta poderosa à disposição fazendo opções sucessivas, constantes e dinâmicas em relação a certas frequências mentais e a certas construções de pensamentos.

Quais serão, então, os pensamentos e crenças pelos quais podemos optar ter para transformar beneficamente a nós mesmos e ao mundo no Planeta Terra, o qual, com certeza, necessita de mudanças drásticas, profundas e definitivas para tornar-se um lugar confortável à existência humana? Como podemos aplicar praticamente e com eficiência a programação mental para atingirmos esses objetivos?

Antes de passarmos a alguns exemplos práticos do que podemos optar frequenciar enquanto pensamentos e crenças, vamos ver alguns aspectos importantes para isso dar certo.


Relação com outras questões

Programação Mental bem sucedida deve estar associada a um conjunto de outras questões que a balizam, referenciam e nos dão a segurança de podermos seguir em frente com sucesso. Caso contrário, corremos alguns riscos graves, como estarmos fortalecendo o ego e a vaidade de forma destrutiva, estarmos ficando “cabeças-duras”, autoindulgentes e por aí vai…

Emoções

Uma das primeiras coisas a ser considerada é a esfera emocional de quem está procurando trabalhar conscientemente com uma boa Programação Metal. As emoções e a capacidade de lidar com emoções poderosas e desafiadoras devem estar equilibradas, tranquilas e serenas.

Muitas pessoas têm uma força mental bastante potente, mas facilmente explodem por motivos diversos ou sobrepujam sua vontade a vontade alheia. Isso é um sinal apenas de força mental mal utilizada…

Para saber como lidar com emoções e sentimentos desafiadores, veja o texto específico sobre lidar com sentimentos.


Equilíbrio Geral

O equilíbrio geral envolve uma série de fatores, muitos deles citados e descritos ao longo desta monografia. Segue uma lista com alguns comentários:

  • meditação – a meditação garante à pessoa que está se trabalhando sob a ótica da programação mental conheça em profundidade o que são seus pensamentos, sua natureza e seus processos. Torna-a ainda capaz de desenvolver senso crítico em relação a eles não se tornar refém dos mesmos, além de ajudar sobremaneira a quebrar frequências mentais indesejadas;
  • atividade física saudável e não competitiva – denota o equilíbrio geral da pessoa e sua capacidade de manifestar no mundo físico o que está criando em sua mente. As pessoas com necessidades físicas especiais, restrição de movimentos e questões de formação física específica ou limitadora devem entender que têm neste ponto um desafio particularmente especial, procurando formas de compensação e/ou superação;
  • impecabilidade – garante à pessoa a correta utilização energética para elevação e utilização benéfica da força que adquire com a Programação Mental;
  • neutralidade – traz a pessoa para o centro de si mesma, tornando-a um ser capaz de propagar luz, força e equilíbrio por onde passe ou com quem quer que esteja. Sem neutralidade, a força mental pode pender para lados específicos, gerando desequilíbrios vários.

Os exemplos acima são apenas algumas das coisas para as quais devem ser dadas uma atenção especial, pois, na realidade, uma Programação Mental bem sucedida em uma pessoa a levará a equilíbrio e harmonia em todas as áreas de sua vida. Toda e qualquer área a ser considerada deverá estar em ordem se houver uma estrutura geral de Programação Mental e crenças bem escolhidas, seguidas e manifestadas. Nesse tipo de caso, a pessoa agregará várias qualidades benéficas, como simplicidade, humildade, força, harmonia, graça, felicidade, beleza, paz interior, não julgamento, propagação da verdade, amor, carinho etc. Qualquer coisa que aponte para sintonias diferentes disso é sinal de pontos a serem descobertos e reorientados.


Mantras

Este assunto pode ter desdobramentos bastante específicos e complexos, entretanto, de uma forma geral e simplificada, podemos dizer que mantras são formações sonoras ou mentais usadas repetidamente, em intervalos regulares, com fins próprios para focar, despertar ou programar a mente em frequências mentais desejadas.

No sentido usado ao longo deste conteúdo, entende-se até mesmo pequenas formações com significação mental específica dentro de uma determinada linha nos valendo como mantras. Por exemplo: a expressão “sou bom o bastante” pode ser usada como um mantra. Numa outra língua, essa mesma expressão teria outra formação e sonoridade. Dependendo do mantra e das línguas em questão até mesmo pequenas variações de significado podem estar presentes.

Para determinadas linhas de pensamento, a linha sonora específica do mantra é de importância fundamental, não podendo variar de forma alguma, independentemente da língua de quem o pronunciar, pois é considerada a frequência vibratória gerada por quem pronuncia o mantra.

Independentemente de uma questão conceitual em definir se os mantras estão ligados a aspectos de seu conteúdo analítico, de sua vibração sonora, aos dois aspectos simultaneamente ou ainda a qualquer outro tipo de característica ou funcionalidade, importa dentro do contexto geral deste conteúdo de Programação Mental saber que eles constituem-se de poderoso artifício para trabalhar a mente. Mesmo as repetições contínuas e seguidas de frases não configurando mantras também possuem efeitos específicos sobre a ótica da Programação Mental.

Para conhecer um pouco mais sobre os mantras, vale muito à pena uma dedicação e prática de médio e longo prazo. Você pode começar sua pesquisa pelo texto do Kalu Rimpoche sobre esse assunto.

<Anterior Próximo>

Deixe Seu Comentário

Comentário(s) para A Mente que Cura
Se seu post não aparecer imediatamente, atualize a página pois ele já deve estar ativo.