Percepção do Tempo / Tempo Natural



Versão Preliminar (contribua e ajude este conteúdo a ser desenvolvido mais rapidamente)


Trará, dentre outros, o desdobramento dos seguintes conteúdos:

O tempo é um para cada um dos corpos:

  • Para a mente, o tempo pode ter várias configurações, a mais comumente percebida constitui-se na seqüência de fatos e percepções (veja o artigo de Airton Luiz Mendonça com uma visão bastante interessante sobre esta questão);
  • Para o corpo físico, o tempo está associado à velocidade dos processos de metabolismo;
  • Para o corpo emocional só existem dois tempos: o presente e o restante. Sendo que é considerado presente a sensação dominante naquele momento. Assim, quando sentimos medo predominando sobre os demais sentimentos, por exemplo, o presente constitui-se apenas de medo, todo o resto não importa. Também não há percepção se os outros sentimentos estão no futuro ou no passado. Para utilizar um termo de algumas tribos indígenas, os demais sentimentos encontram-se no “tempo grande”. Por conta disso é que há uma dissociação dos sentimentos e da razão. Caso uma pessoa consiga atravessar as barreiras que a impendem de reviver um medo (ou qualquer outro sentimento) tão intensos quanto os que ela sentiu nas primeiras vezes que esse determinado sentimento chegou a gerar traumas ou bloqueios, como é muito comum na idade da nossa primeira infância, não adianta querer explicar para a pessoa que ela está segura, que tudo vai passar, o medo que ela está sentindo é exatamente o mesmo que a criança sentiu e as reações momentâneas são incontroláveis…;
  • Para o corpo espiritual, o tempo é ação. Assim, duas pessoas que se encontram juntas em um mesmo ambiente podem estar compartilhando alguns momentos do presente de suas mentes, por estarem acompanhando conjuntamente determinados raciocínios e percepções em comum, assim como estarem compartilhando o mesmo tempo emocional, devido a estarem sentindo emoções semelhantes. Entretanto, espiritualmente estarão compartilhando o tempo presente sobre alguns aspectos e outros não. Por exemplo, estarão compartilhando o poder da presença por se encontrarem em um mesmo ambiente. Podem ainda estar compartilhando o mesmo propósito de uma determinada ação, um trabalho de grupo, por exemplo. Entretanto, haverá para cada uma delas ações pessoais, tanto presentes, quanto passadas e futuras, ocorrendo em seus corpos espirituais sem que estejam sendo compartilhada com a outra ou ainda as demais pessoas no mesmo ambiente. Por exemplo: uma delas, além de estar no presente trabalhando naquele eventual propósito do trabalho de grupo que as une ali, também poderá ter sua ação presente em manter sua própria saúde, estar ganhando dinheiro para comprar determinado bem, focando-se em ser um bom pai/mãe da fulana de tal e assim por diante. As ações presentes da outra pessoa podem também ter ainda alguma confluência com as ações da primeira pessoa, entretanto também terão singularidades que não serão compartilhadas com qualquer outro ser.

Veja as distorções temporais para cada uma das defesas de personalidade:

  • Esquizóide – Experimenta o tempo universal; é incapaz de sentir o tempo linear ou de viver no presente, no mundo físico;
  • Oral – Nunca tem tempo suficiente;
  • Psicopático – Lança-se para o futuro;
  • Masoquista – Sente que o desdobramento temporal se deteve;
  • Rígido – Sente o austero e mecânico movimento do tempo para frente.

Tempo Natural

  • Importância da conexão com o tempo natural;
  • Ciclos do tempo natural – estações do ano; o dia e a noite; ciclo lunar;
  • Movimentos astrológicos;
  • Medição do tempo / calendários: visão geral, aspectos dos calendários gregoriano e maia;
  • Arbitrariedade na definição dos sub-múltiplos do dia: as horas;
  • Dissonâncias ligadas à conexão com o tempo mecânico dos relógios.

Conteúdo atualizado em 07/11/2017     |     Versão 1.5 – 1ª     |    Versão – em 02/07/04

Deixe Seu Comentário

Comentário(s)
Se seu post não aparecer imediatamente, atualize a página pois ele já deve estar ativo.