Particularidades do Evento

Aspectos rituais, místicos e espirituais dos Festivais Trance


Celebração

O Festival Trance é uma festa de celebração:

  • do sol, pois se está em festa e dançando durante o nascer e o por do sol, além de todo o período dentro desse intercurso;
  • da lua e da noite;
  • dos 4 elementos (água, terra, fogo e ar). Um bom festival tem a abundância de disponibilidade de todos os 4 elementos durante toda a sua ocorrência, tanto de dia quanto de noite;
  • da Terra enquanto organismo vivo que age e reage dentro de um equilíbrio dinâmico com tudo o que está dentro dela, inclusive nós, seres humanos nela nascidos e dos elementos dela constituídos, bem como do que está em seu ambiente externo, como é o caso do sistema solar e demais constelações, galáxias e entidades do universo já conhecido (e mesmo também as desconhecidas…) pela ciência humana;
  • da opção pela vida. Pela vida viva, vibrante e alegre.

Religiosidade sem sacerdotes

Diversas pessoas declaram que dentro do fenômeno do Festival Trance foi que encontram a sua mais adequada manifestação religiosa, englobando e envolvendo todos os aspectos de seus seres.

Uma nova religiosidade, centrada na interação harmônica de cada um consigo, com o meio e com o outro; multifocal, considerando todos os níveis e dimensões do ser; sem sacerdotes, na qual o maior mestre é o corpo.

Veja mais sobre religiosidade sem sacerdotes no texto de Jiddu Krisnamurti.


As festas de expiação (peias) e as de expansão

As Festas de expansão possuem um equilíbrio e um acesso sempre disponível aos quatro elementos. Neste tipo de Festa, onde quer que a pessoa se encontre (no camping, na pista, no chill out, no mato, nas trilhas etc), ela terá uma tendência a se sentir muito bem. É muito comum que, nessas situações, mais cedo ou mais tarde, a pessoa passe pela experiência inquietante de não estar com algo harmonizado dentro de si, em decorrência ou como desdobramento de qualquer área de sua vida. Como o ambiente está sempre harmônico, num ato de expansão de consciência, ela se vê frente a frente com a realidade de procurar dentro de si os motivos de seu desequilíbrio.

Nas festas de expiação, há um processo inverso: mesmo que a pessoa esteja bem, independente de onde ela esteja, terá uma tendência a sentir ruim, pois o ambiente está em desequilíbrio, por falta de conforto / adequação à presença humana ou ainda por falta ou excesso de um dos 4 elementos naturais: água, terra, fogo e ar. Normalmente, terra e ar estão disponíveis, é mais comum que essas festas tenham, por descuido dos organizadores desequilíbrios ligados a água e fogo, tanto por falta como por excesso:

  • falta de água potável ou mesmo para se molhar o corpo;
  • falta de sombra (resultando em excesso de fogo);
  • falta de abrigo adequado para chuva;
  • falta de área adequada para descanso (falta de terra enquanto ressonância para o corpo físico);
  • falta de fogueiras.

Esses elementos se associam a cada um dos 4 corpo inferiores, na seguinte relação:

  • ar – espírito
  • fogo – mente
  • água – sentimento
  • terra – corpo físico

A falta ou excesso de um desses elementos irá desequilibrar primeiramente as pessoas que se encontrarem mais sensíveis em relação ao elemento em questão. Esses desequilíbrios irão ressonar negativamente para as demais pessoas, até que aja um predomínio desse tipo de estado/sensação, o que ocorre de modo inconsciente para a grande maioria das pessoas.

Uma festa de peia tende a ter, de modo geral, experiências pessoais difíceis e até ruins, o que não impede que essas mesmas vivências possam ser vistas por muitas pessoas como sendo boas, em decorrência do aprendizado pelo qual podem passar. Entretanto, as pessoas que as podem ver sobre esse prisma são poucas e ainda há o risco de muitas pessoas a acharem efetivamente ruins. Esses tipos de festa são inadequados para que uma pessoa venha a ter sua primeira experiência de festival com elas…

Há algo extremamente interessante nos Festivais: independentemente de a Festa ser de expansão ou de expiação, há uma certeza espiritual profunda de cada um de estar no lugar certo, de saber que era ali que a pessoa deveria estar. Isso é assim para a vida de uma forma em geral, mas nos Festivais o que é diferente é que as pessoas ativam a consciência dessa percepção.

É muito bonito ver como as pessoas se movem para estar nas Festas que sentem que lá irá ser o seu lugar de estadia durante os dias em que tiver ocorrendo. Não apenas o deslocamento físico costuma ser grande, mas também toda a mobilização energética envolvendo diversas áreas da vida da pessoa.

<Anterior Próximo>

Envie um Comentário     |     Referências